domingo, 28 de dezembro de 2014

Nota

Atormentado, solitário, apático e maldito,
meu pétreo coração, incapaz, vil e restrito,
se espelha no poeta para que sua existência
seja destinada aos sofrimentos, às memórias,
aos tormentos, que já se laboram nas trevas,
sombras e lúgubres e tenros e tênues momentos
de tristeza, escuridão e isolamento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário